Menu
St Petersburgo / Viagens

São Petersburgo – Rússia

Depois de 8h chegamos a São Petersburgo! E um lindo dia de sol nos esperava!
Fizemos a ligação Moscovo – São Petersburgo no comboio noturno, assim o valor da viagem foi como se fosse uma noite no hotel, fica a dica! A viagem no Flecha Vermelha foi muito boa! São mais de 700km que separam as duas cidades. Como vai em marcha lenta demoramos 8horas a chegar a São Petersburgo (normalmente seriam 4horas), mas foi super tranquilo, dormi mesmo bem! Se calhar a correria até a estação ajudou!

Fomos ao hotel pousar as malas e tomar banho e começamos a maratona por São Petersburgo.

Descemos a avenida principal de São Petersburgo – Avenida Nevsky, passamos pela ponte Anishkov (que se destaca pelos quatro cavaleiros dourados) e depois pela Catedral de Nossa Senhora de Cazã, o exterior faz lembrar uma miniatura – nada pequena – da Praça de S. Pedro no Vaticano. A avenida está cheia de lojas, pastelarias, restaurantes, há animação na rua e muita muita gente! Atravessamos a Arka Glavnogo Shtaba, onde encontramos a Praça do Palácio e o Hermitage (também conhecido por Palácio de Inverno). Imponente, na sua combinação perfeita entre verde, branco e dourado, fiquei ali a ver aquela ‘casinha’ maravilhosa. Na praça, a banda militar russa estava a ensaiar para as comemorações do aniversário de término da II Guerra Mundial. Ficamos ali a ouvir e desfrutar daquele momento único.

Caminhamos até à Catedral do Sangue Derramado. O exterior da Catedral já é de si fantástico mas têm mesmo de entrar é das mais bonitas que vi! As paredes interiores estão cobertas de mosaicos, é repleta de cor e luz. Vale mesmo a pena entrar. A entrada fica por 250 rublos e vale cada rublo (250 são cerca de 3€ não se assustem)! Na zona da Catedral há muitas barraquinhas a vender lembranças, artistas de rua, mas cuidado com os carteiristas que também adoram esta zona!

 

Na rua Bolshaya Konyushennaya vão encontrar a Pyshechnaya um cafezinho despretensioso onde podem comer o pastel de belém de São Petersburgo. São uma espécie de donuts feitos com a massa das farturas/ churros, são bem bons 😀 Vêm acompanhados de açúcar em pó e canela, 6 destes donuts custam apenas 84 rublos. E não podem deixar de provar! Ah, ainda não avisei, mas São Petersburgo vai arruinar a vossa dieta!

Concluímos o nosso primeiro dia da melhor forma: fomos ao Teatro do Hermitage ver o Lago dos Cisnes. O interior do Teatro é maravilhoso mas o espectáculo de Ballet foi das coisas mais bonitas que já assisti. Os bailarinos são extremamente elegantes, acompanhados pela orquestra, bem, que sensação. Arrepiei-me de início a fim! É um espectáculo caro mas é daquelas experiências que fica para a vida!

No segundo dia, decidimos atravessar o rio Neva. Mas como somos masoquistas fomos a pé! Enquanto caminhamos vamos passando por edifícios lindos, então compensa os 15km diários a pé!! Entramos na Mesquita de São Petersburgo: o seu interior é muito simples, ganha a sua arquitectura exterior em azul cheia de detalhes. Muito bonita! Visitamos o Museu do Estado da História Política da Rússia. Neste ficam a entender perfeitamente o fim da era dos Czar, a entrada do comunismo até a política atual. Para quem gostar deste tema este Museu é o ideal.

Seguimos para a Fortaleza de Paulo e Pedro, cumprimos a tradição e acertamos com uma moeda no coelho, vá, eles acertaram. Eu vou ter mil anos de azar! #esperoquenao. Aqui vi pessoas a ‘fazer praia’. Eu de casaco, cachecol e tudo a que tenho direito e este pessoal de cueca, pronto, são cenas que acontecem e te arrepiam até a espinha!

Entramos na fortaleza – basicamente é uma mini ilha, com muralha em todo o seu redor. No interior poderão encontrar igrejas, lojas, exposições, etc. Tem uma vista muito bonita para a cidade de São Petersburgo. Ah, não pagam para entrar na ilha mas para entrar na muralha, igreja ou exposição vão ter de dispensar uns rublos.

Atravessamos a ponte Birzhevoy e seguimos pela avenida, paramos perto da antiga Bolsa de Valores para beber um chocolate quente junto ao rio. A vista para o rio e a cidade é incrível. Tal como em Moscovo, São Petersburgo tem centenas de edifícios que merecem a nossa atenção, por isso, enquanto forem percorrendo as ruas estejam sempre atentos, tem mesmo muito a oferecer.

Acabamos este dia num Restaurante Asiático incrível. DuoAsia combina uma comida maravilhosa com um ambiente fenomenal. O preço é justo tendo em conta aquilo que oferece. Uma experiência gastronómica a não perder! Para além disso usam talheres portugueses (Cutipol)! Fofos!

À noite, a Avenida Nevsky enche-se de concertos com artistas de rua, tem imensa vida, música e cor mas se quiserem ir até um bar ou discoteca a rua ideal é a Ulitsa Lomonosova. Ao contrário de Moscovo, aqui a festa começa na rua!

Guardamos o terceiro dia para o Museu Hermitage. Tem uma coleção de arte maravilhosa mas nada comparado com o edifício em si, cada sala é uma descoberta, é um woooouuu. Cada sala tem o seu estilo, umas mais exorbitantes outras mais sóbrias mas todas encantadoras. Só indo e vendo. É uma visita bastante cansativa (levem calçado confortável) por se tratar de um espaço muito grande mas vale muito a pena!

Ao final do dia subimos à varanda da Catedral de São Isaac. Como fomos na hora do pôr-do-sol tivemos duas versões da vista para a cidade – dia e noite. A vista noturna maravilhosa para a cidade convenceu-me! O rio, os edifícios iluminados, bem, aquele conjunto é de sonho.

Acabamos o dia a jantar no El Copitas é um restaurante/bar mexicano, está completamente escondido – e isso é o segredo do seu sucesso. É um espaço pequeno mas muito acolhedor, com uma decoração bem característica mas maravilhosa, a música ambiente a levar-nos para outro país, o atendimento, tudo. Comi uma sopa de milho fantástica! Vale muito a pena irem lá pela experiência gastronómica, as bebidas são únicas e muito saborosas. Os tacos são feitos com ingredientes frescos, o ambiente é fantástico mesmo! Fiquei encantada com a pintura da Frida Khalo. “Pés, para que os quero, se tenho asas para voar?” Adoro esta frase dela!

O quarto (e último) dia foi para o Peterhoff e o Palácio de Catarina. Que sítios magníficos! Decidimos não entrar nos palácios e aproveitar só os jardins – que são lindooos – pois já tínhamos visitado o Hermitage e foi-nos dito que seria semelhante. (Admito que também já nos sentíamos cansados).

Em Peterhof ficamos maravilhados com as fontes (atenção que durante o inverno, devido ao frio, ficam desativadas). Estão cobertas de esculturas douradas e enquadradas à porta de um palácio com um jardim enorme. Vimos imensos esquilos, super querido! Caminhamos pelos jardins, estão ‘divididos’ em várias partes e cada um com o seu simbolismo e arquitetura. O bilhete da visita ao jardim inclui uma visita a um dos vários edifícios que existem no jardim, optamos pelo Pavilhão Hermitage: um mini palacete onde apenas serviam refeições mais privadas. Ficamos admirados com o que se inventava para ostentar poder. Uma sala de jantar onde os criados não eram autorizados a ver quem lá estava mas tinham de os servir. Para isso, criaram uma mesa com um sistema de elevador, cada lugar tem um recorte na mesa, para servir a refeição esse recorte era puxado para a cozinha (que se encontra por baixo) o prato era colocado e puxado de volta para a mesa. Quase que por magia os pratos apareciam cheios. Só visto!

Almoçamos pelo jardim umas sandes que trouxemos da Bushe. Fomos imensas vezes a esta pastelaria. As sandes são muito boas e feitas com ingredientes frescos. Tinham também umas mini tartes fantásticas. Também servem massas e saladas. Há várias espalhadas pela cidade e a relação qualidade-preço é muito boa.

Daqui seguimos (de uber) para o Palácio de Catarina. Parece um conto de fadas. O palácio é azul com os detalhes em dourado, que combinação maravilhosa. O jardim é imenso e esconde recantos maravilhosos. Tem vários palácios com a mesma arquitectura que o Palácio de Catarina mas em ponto pequeno (nada pequeno), pontes lindas e muitos outros detalhes! Vale a pena a visita, mas preparem-se para caminhar muitooooo!

Chegamos ao centro da cidade já de noite, aproveitamos as últimas horas na Rússia para caminhar pela zona do Hermitage, São Petersburgo tem magia com as luzes noturnas. Os edifícios ficam lindos. Mais uma vez fomos surpreendidos com uma parada militar, tal como em Moscovo, despedimo-nos da cidade com uma demonstração de poder. Apesar de não ser fã da artilharia admito que é algo que nos fica na memória. Eram milhares de militares, passaram tanques, camiões, e todo um conjunto de coisas gigantes e ‘assustadores’ mas, perdoem, não sei o que era!

Acredito que a realidade no resto da Rússia seja muito diferente, mas adorei conhecer estas duas cidades. São tão diferentes uma da outra, tão donas de si. Moscovo destaca-se pela sua organização e higiene. As ruas estão completamente limpas (desafio-vos a encontrar beatas ou chicletes no chão), os jardins estão cheios de flores e luzes, as pessoas caminham pelas ruas de forma ordeira, é mesmo um choque cultural. São Petersburgo destaca-se pela vida. Tudo tem animação, cor e música. Os edifícios são maravilhosos. Os canais que atravessam toda a cidade e o seu rio trazem uma paisagem digna de postal. Se não têm estes destinos na vossa lista aconselho a acrescentar JÁ!

Vim de lá encantada e com a certeza de querer voltar. 

 

Fica a conhecer a minha viagem a Moscovo aqui!

No Comments

    Leave a Reply